sábado, 22 de agosto de 2015

LEITURA: Stephen King


 

Um escritor impecável, original, best seller mundial, e mestre do horror:

 

Stephen King




 

Levando em conta que ele possui inúmeros trabalhos; vamos focar apenas em alguns deles:



Essa é a coleção de King do Mundo de Helena, somos amadores, mas ela cresce a cada dia, muitos obras se acham disponíveis em pdf , o que não é a mesma coisa, livro físico não se compara ao virtual e nunca sairá de moda, só o cheirinho é algo especial.
Lembrando também que muitos dos seus livros mais antigos  são raros de se encontrar.








Vida:
Stephen Edwin King nasceu em Portland, Maine,em 21 de setembro de 1947.
Foi o segundo filho de Donald e Nellie Ruth Pillsbury King.
Após a separação de seus pais, Stephen e seu irmão, David, foram criados pela sua mãe. Stephen passou a infância em Fort Wayne, Indiana, onde moravam parentes de seu pai, e também em Stratford, Connecticut. Quando Stephen completou 11 anos, sua mãe voltou com ele e o irmão para Durham, no Maine, pois avôs viviam lá e precisavam da ajuda de sua mãe.






Stephen frequentou aulas em Durham e na Lisbon Falls High School, onde se graduou no ano de 1966. Então foi para Universidade de Maine, onde mantinha uma coluna semanal para o jornal escolar que tinha o nome de The Maine Campus. Stephen foi um estudante ativo, colaborando em questões políticas e servindo como membro do Student Senate. Ele se graduou em 1970 e obteve qualificação para lecionar.

 

 

O escritor casou-se com Tabitha Spruce no ano de 1971. Eles se conheceram na biblioteca da universidade quando ainda eram estudantes. Enquanto vendia pequenas histórias para algumas revistas, Stephen escreveu seu primeiro conto profissional “The Glass Floor” para a Startling Mystery Stories em 1967. Muitos destes contos foram compilados posteriormente na coletânea Night Shift (Sombras da Noite) ou apareceram em outras antologias.
Stephen e Tabitha:




 

Obra:
No ano de 1973, a editora Doubleday & Co aceitou a novela Carrie.
A partir daí, Stephen conseguiu subsídio para deixar de lecionar e dedicou-se à escrita em tempo integral. Neste mesmo ano, o escritor conseguiu sua segunda aceitação com a novela Salem’s Lot (A Hora do Vampiro). Neste período, a mãe do escritor morreu de câncer aos 59 anos.






Um ano após a aceitação da editora, a novela Carrie foi publicada, ao mesmo tempo em que Stephen se mudou com a família para o Colorado.
Viveram lá aproximadamente um ano, e nesse tempo Stephen escreveu The Shining (O Iluminado).
Retornaram para Maine em 1975, onde o escritor finalizou The Stand (A Dança da Morte).
O escritor tem três filhos com sua esposa: Naomi Rachel, Joe Hill e Owen Phillip.
Em 2003, Stephen recebeu um título distinto "The National Book Foundation" por contribuir com a literatura americana.






Viva O mestre do horror contemporâneo!








Fã de Poe confesso e sendo Lovecraft sua grande inspiração, Stephen King chegou a passar privações com sua esposa no início do casamento, na época escrevia muito e chegou a jogar sua obra Carrie no lixo, mas sua esposa Tabitha a resgatou, o que ele não sabia até então foi que Carrie se tornaria seu primeiro best seller.
Condecorado com a Medalha Nacional de Artes pelas mãos de Barack Obama:







O mestre inclusive assumiu ser consumidor de maconha, que utiliza para ativar a criatividade. 
Até hoje ele critica a primeira adaptação para o cinema do seu livro "O iluminado", porque Stanley Kubrick apenas se inspirou em seu trabalho, omitindo e mudando muitos detalhes do livro na versão para o cinema.
Uma nova versão dirigida por Mick Garris foi refilmada em 1996 contando com o próprio King como roteirista, essa sim, foi fiel ao livro, além de mais longa.
O best seller Carrie:






Conta a história de Carrie White, uma inocente e introvertida jovem que não faz amigos em virtude de morar em quase total isolamento com Margareth, sua mãe, que é uma pregadora religiosa fanática.
Sofrendo todos os dias o preconceito e sendo chacota de todos os seus colegas de sala, Carrie esconde um segredo, e todos os seus opressores que a ridicularizam em público, não imaginam os poderes paranormais telecinéticos que ela possui.

Carrie além de ser a primeira obra prima do escritor é sem dúvida um de seus trabalhos mais marcantes. Grande livro que lendo e relendo você se torna cativo da trama e cúmplice de seu drama sombrio, poucas histórias jamais chocarão como essa.
Não importa quantas vezes você o leia, anos depois só se comprova o seu brilhantismo, profundidade e criatividade de tal história, atemporal e magnífica.

A seguir o trailer de Carrie de 1977 dirigido por Bryan De Palma e estrelado por Sissy Spacey, William Katt, Kate Irving, Piper Laurie e John Travolta. 
Película pesada e forte  que fica na memória, roteiro dramático e assustador, nessa adaptação que vale muito a pena.

Teve mais 2 remakes.



 



O Iluminado, livro de sucesso absoluto:







Seguem os trailers da versão para o cinema de O iluminado, a primeira versão de Stanley Kubrick, de 1980 estrelada pelo grande Jack Nicholson e considerada um clássico; e a nova versão de 1996 dirigida por Mick Garris e estrelada por Steven Webber e Rebecca de Mornay.


Primeira versão:






Segunda versão








O livro conta a história de Jack Torrance que tem sua chance derradeira de recuperação e de deixar seu turbulento passado de bebedeiras e empregos fracassados. Essa chance é a de trabalhar como zelador do Overlook Hotel, no inverno, o que representa quase cinco meses de total isolamento junto com sua pequena família, o filho Danny e a bela esposa Wendy.
Porém, Danny tem um poder imenso, chamado pelo chef do hotel Dick Hallorann de “iluminação”, que permite ao menino ver o futuro, o passado, e sentir o que as pessoas pensam. O hotel tem uma história de tragédias e violência, criando uma entidade maligna que se alimenta das energias negativas e das pessoas que ali se hospedam; e o poder de Danny o torna muito atraente para essa entidade.
Um livro assustador e que te prende do inicio ao fim, um dos maiores clássicos do mestre King.


Outro livro marcante do escritor é It (A coisa)





Adaptação para o cinema de 1990:





A cada vinte e sete anos, desaparecimentos e mortes misteriosas ocorrem em Derry, no Maine. Uma força sobrenatural reside na cidade se alimentando de seus piores medos e angustias, na maior parte das vezes tomando a forma de um palhaço e atraindo crianças para assim as destruir.
Enfrentá-la pode ser a única maneira de se ver livre dela pra sempre, mas isso já foi feito uma vez e quando o ciclo recomeçou ela parecia mais faminta do que nunca.
Em 1958 um grupo de amigos enfrentaram a Coisa, e saíram com marcas permanentes em suas vidas, então os sete fizeram um pacto de sangue prometendo voltar a cidade e acabar de uma vez por todas com o mal que ali habitava caso ele um dia voltasse.
Trinta anos após esse juramento, a coisa retorna a cidade fazendo assim com que os sete amigos tenham que retornar e se reencontram para juntos acabarem com aquele mal para sempre.
Além de um horror indiscutível a história possui doses de drama tocantes, é emocionante como desde a infância uma amizade é construída de forma verdadeira, também abrange a fé em si mesmo, o amor, o sentimento do medo e como lidar com ele, e outros conflitos sociais, como bullying, preconceito, violência contra a mulher e muitos outros temas estão presentes na história. Vale muito a pena.
Narrativa bem articulada, dramática, perturbadora, e rica em detalhes.

O livro Celular, mais atual e que promete ser adaptado para o cinema em breve:





O artista gráfico Clay Riddell se vê numa caçada alucinante em meio a criaturas que antes eram simples mortais. Em um rápido momento, todas as pessoas que estavam falando no celular enlouquecem devido a um estranho vírus. Fora de si, como zumbis começam a atacar e matar quem passa pela frente. O desafio é sobreviver num mundo virado às avessas.
Livro com narrativa mais que original, outro grande sucesso, que promete se repetir nas telas.
Horror de tirar o fôlego.
Narrativa que só Stephen King é capaz de fazer.
Sobre o possível filme só nos resta esperar.


Finalizando com uma de suas obras que não tem comparação em originalidade e horror.
"O Cemitério" Pet Sematary no original é conhecido por ser o livro que Stephen King supostamente "achava tão assustador que não devia ser publicado", e esse comentário se tornou a base para toda a campanha de marketing por traz do lançamento do livro.
Isso e o fato do autor se negar a participar da campanha, dar entrevistas ou apoiar sua divulgação.






A história gira em torno da família Creed que recentemente se mudaram para uma nova casa. A tal casa é perfeita, exceto por duas coisas: os reboques, que vivem fazendo barulho na estrada, e o misterioso cemitério de animais no bosque atrás da casa.
 O livro se inicia quando Louis Creed e sua família - a esposa Rachel, a filha Ellie, e o bebê Gage, se mudam de Chicago para uma casa em Ludlow, no Maine onde Louis assume o emprego como chefe de Enfermaria na universidade. A infame Rota 15 passa bem em frente de sua casa, o que deixa ele e sua esposa apavorados de ter que atravessar a rodovia e topar com um caminhão a alta velocidade. Do outro lado da estrada vive um simpático idoso chamado Jud Crandall e sua esposa, Norma. Os Creed rapidamente se sentem em casa e se acomodam em seu paraíso suburbano, até que o gato de Ellie, Churchill, é atropelado por um automóvel na Rota 15. Sabendo que Ellie vai ficar devastada pela morte de seu bichinho de estimação, Jud leva Louis através da floresta "para lhe fazer um favor". .As crianças das redondezas construíram um cemitério para animais que morrem na autoestrada, o "Semitério de Bichos" (escrito errado na placa em sua entrada), o lugar fica bem atrás da casa dos Creed, numa área selvagem de Ludlow. Acontece que mais atrás, oculto por uma barreira natural existe um cemitério indígena construído pela tribo Micmac há séculos. Louis enterra Churchill nesse lugar sinistro, e o gato acaba voltando à vida e assim se inicia uma série de bizarras tragédias irremediáveis.


Em uma entrevista dada no ano seguinte ao lançamento de "O Cemitério", King disse, "Se eu pudesse escolher, provavelmente não teria publicado esse livro. Eu não gosto dele. É um livro terrível - não pela escrita, mas pelo conteúdo profundamente dark. Ele parece dizer que no final das contas não há esperança, que nada que se faça no final vale a pena, e eu realmente não acredito nisso".

O mestre pode ter discordado que o livro seja brilhante ou digno de uma publicação, mas ele alcançou um sucesso incomparável, batendo recordes de venda.
Sem dúvida umas das narrativas mais sombrias e poéticas de King, prendendo, e emocionando muito o leitor, com uma descrição sem igual, sinistra, e implacável, trás uma lição profunda e uma moral impactante sobre a ideia da morte.
O filme é uma boa adaptação a altura.
O livro, por sua vez, é soberbo, e esplendido, clássico dos clássicos.

Trailer da adaptação de Cemitério Maldito de 1989 dirigido por Mary Lambert e estrelado por Dale Midkiff e Denise Crosby:





Há muito mais a se falar.

Em breve...


O Mundo de Helena não poderia deixar de citar o mestre que merece todo respeito por seu grande talento, obra e sua luta.   
King é principal influencia desde a infância e sem dúvida a nossa maior inspiração.


STEPHEN KING 

FOREVER.

 

Recadinho do Mestre: "Leia mais livros de medo"! 


 


Até a próxima.  








Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.